Anúncios

Chamada Dossiê Confluências Culturais  - Patrimônio Industrial: Trabalho, Memória e Ambiente

2023-10-24

Chamada Dossiê Confluências Culturais

 Patrimônio Industrial: Trabalho, Memória e Ambiente

Daniela Pistorello[1]

Eduardo Romero[2]

Ilanil Coelho[3]

 

Data limite para submissão: 29 de fevereiro de 2024

A proposta do tema do Dossiê nasceu a partir das discussões da necessidade de compartilhar as inquietações e produções de pesquisadores no campo do patrimônio cultural, ampliar o conhecimento e a troca de experiências sobre os vestígios materiais remanescentes da história da indústria e dos mundos do trabalho em ambientes rurais e urbanos. Nessa direção, destacam-se os desafios inscritos em territórios que passam por transformações nos parques industriais brasileiros e degradações ambientais, bem como a proposições de políticas públicas de desenvolvimento local que envolvam cultura, gestão urbana, turismo e fortalecimento de vínculos de pertencimento das populações nestes territórios, vislumbrando possíveis alternativas de uso e ressignificação do patrimônio industrial. Por patrimônio industrial entendemos

os vestígios da cultura industrial que possuem valor histórico, tecnológico, social, arquitectónico ou científico. Estes vestígios englobam edifícios e maquinaria, oficinas, fábricas, minas e locais de processamento e de refinação, entrepostos e armazéns, centros de produção, transmissão e utilização de energia, meios de transporte e todas as suas estruturas e infra-estruturas, assim como os locais onde se desenvolveram actividades sociais relacionadas com a indústria, tais como habitações, locais de culto ou de educação (Ticcih, 2003).

Para além disso, acreditamos que o patrimônio industrial deve ser considerado como uma condição multidimensional da cultura industrial, que abarca além das complexas estruturas e articulações que envolvem os processos industriais, as paisagens culturais e os territorios industriais marcados por continuidades e rupturas que convertem o meio físico em cenário de observações das transformações dos seus usos e dos impactos que as sociedades têm gerado mediante a exploração dos recursos naturais. Nesse sentido a memória do trabalho e dos trabalhadores deve ser considerada como um elemento de referência para entender os espaços de trabalho e as relações que se estabelecem entra a cultura material, imaterial e o território, afinal, como aponta a historiadora Cristina Meneguello

é importante considerar a dimensão da preservação da memória do trabalho e dos trabalhadores, incluso o conhecimento de técnicas e rotinas de produção, de organização e de sociabilidade, dentro e fora do espaço de produção. A indelével associação entre os espaços de trabalho e as memórias dos trabalhadores incide também na dimensão imaterial da experiência industrial (os saberes, as rotinas de trabalho, as práticas cotidianas), também em veloz processo de desaparecimento (Meneguello, 2011).

Muitos e diversificados tem sido os enfoques que tratam da cultura industrial e sua relação com o mundo do trabalho. Podemos citar como exemplo, as pesquisas que envolvem o mundo do trabalho e a arte (Pistorello, 2021); as memórias do trabalhador no universo ferroviário (Oliveira, 2022) ou ainda as abordagens que trazem como metodologia a HO pata tratar do universo do trabalho (Pistorello; Coelho, 2023).

O Dossiê proposto, que conta com o selo TICCIH Brasil, tem, pois, o objetivo de problematizar, discutir e compartilhar, em uma perspectiva interdisciplinar, os conhecimentos, os problemas e os desafios lançados às sociedades contemporâneas quando pensam e operam com o patrimônio industrial em diferentes territórios e ambientes construídos. Nessa proposta, ganharão destaque especial as pesquisas recentes e as novas abordagens que tratem das interrelações do patrimônio industrial com as memórias sociais dos mundos do trabalho e problematizações teóricas que envolvem o patrimônio ambiental e o uso cultural da biodiversidade. Dito de outro modo, no contraponto das memórias e das sociabilidades atreladas ao patrimônio industrial, chamamos a atenção para a dimensão relacional entre os processos de transformação da natureza e os saberes-fazeres com a natureza. Além disso, o Dossiê se constitui um veículo relevante para pesquisadores compartilharem dificuldades e achados teórico-metodológicos em patrimônio industrial que adensem a condição de problematizar como se encontram amarrados a este, o trabalho, a memória e o ambiente.

 

REFERÊNCIAS

MENEGUELLO, Cristina. Patrimônio industrial como tema de pesquisa. Anais do I Seminário Internacional do Tempo Presente. Florianópolis: UDESC, 2011.

OLIVEIRA, Eduardo Romero (org). Memória ferroviária e cultura do trabalho: Balanços teóricos e metodologias de ativação de bens ferroviários numa perspectiva multidisciplinar. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2022.

PISTORELLO, Daniela. Do itálico berço à nova pátria brasileira: trabalho e indústria na obra de Aldo Locatelli. In. MENEGUELLO, Cristina (org.). Arte e patrimônio industrial: São Paulo: Cultura Acadêmica, 2021.

PISTORELLO, Daniela; COELHO, Ilanil. O (não) Lugar das memórias de trabalhadoras em cidades industriais: por uma história social do patrimônio industrial de Joinville. In. DE BEM, Judite Sanson (org.). VII Jornadas do Mercosul. Canoas: Ed. Unilasalle, 2022.

THE INTERNATIONAL COMMITTEE FOR THE CONSERVATION OF INDUSTRIAL HERITAGE (TICCIH). Carta de Nizhny Tagil, 2003.

 

[1] Professora do PPGPCS/UNIVILLE e Professora do Curso de História da UNESC

[2] Professor da Faculdade de Ciências e Letras da UNESP e presidente do TICCIH Brasil  

[3] Professora do Curso de História e do PPGPCS da UNIVILLE

Saiba mais sobre Chamada Dossiê Confluências Culturais  - Patrimônio Industrial: Trabalho, Memória e Ambiente

Edição Atual

v. 12 n. 2 (2023): Diálogos interdisciplinares sobre paisagem cultural - Organizadores: Prof. Dra. Mariluci Neis Carelli (Professora do Programa de Pós-Graduação em Patrimônio Cultural e Sociedade, Universidade da Região de Joinville -Univille), Profa. Dra. Cleusa Graebin (Professora do Programa de Pós-Graduação em Memória Social e Bens Culturais, Universidade La Salle - Unilasalle) e Prof. Dr. Otair Fernandes de Oliveira (Professor do Programa de Pós-Graduação em Patrimônio, Cultura e Sociedade, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro - UFRRJ).
					Visualizar v. 12 n. 2 (2023): Diálogos interdisciplinares sobre paisagem cultural - Organizadores:  Prof. Dra. Mariluci Neis Carelli (Professora do Programa de Pós-Graduação em Patrimônio Cultural e Sociedade, Universidade da Região de Joinville -Univille), Profa. Dra. Cleusa Graebin (Professora do Programa de Pós-Graduação em Memória Social e Bens Culturais, Universidade La Salle - Unilasalle) e Prof. Dr. Otair Fernandes de Oliveira (Professor do Programa de Pós-Graduação em Patrimônio, Cultura e Sociedade, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro - UFRRJ).
Publicado: 2023-09-29

Artigos

  • A milonga como rastro da participação do negro na cultura pampiana

    Cleusa Maria Gomes Graebin, Jucelino Viçosa de Viçosa
    7-21
    DOI: https://doi.org/10.21726/rcc.v12i2.2163
  • Corte e uso das madeiras de lei durante o período da pesca de baleias no litoral de Santa Catarina

    Nelma Baldin
    22-31
    DOI: https://doi.org/10.21726/rcc.v12i2.1923
  • Sobre a dúplice tecnológica como instrumento de manutenção e legitimação da memória institucional

    Alex Medeiros Kornalewski
    32-43
    DOI: https://doi.org/10.21726/rcc.v12i2.2164
  • O Museu Afro Brasil na paisagem cultural do Parque Ibirapuera (São Paulo)

    Silvio Marcus de Correa
    44-59
    DOI: https://doi.org/10.21726/rcc.v12i2.2078
  • De clínica a museu: tecendo as trajetórias memoriais de um castelo no centro da cidade de Estrela (RS)

    Paulo Gustavo Sehn, Patrícia Kayser Vargas Mangan
    60-74
    DOI: https://doi.org/10.21726/rcc.v12i2.2079
  • “As terras do príncipe”: migrações e paisagens de Joinville (SC) em Rodowicz-Oswiecimsky e Leo Waibel (1853-1949)

    Alanna Fernandes Duarte
    75-91
    DOI: https://doi.org/10.21726/rcc.v12i2.2086
  • As contribuições socioculturais do carnaval para o município de Cruz Alta – Rio Grande do Sul

    Claudia Maria Prudêncio de Mera, Mara Rubia dos Santos Corrêa, Vânia Maria Abreu de Oliveira
    92-110
    DOI: https://doi.org/10.21726/rcc.v12i2.953

Ensaio

  • Honra, o guerreiro sempre ferido

    Kátia Nascimento
    111-121
    DOI: https://doi.org/10.21726/rcc.v12i2.2085

Conferência

  • O discurso autorizado do patrimônio e a fabricação do Patrimônio Cultural em contextos contemporâneos

    Laurajane Smith; Ana Gabriela Cardoso, Helena Stringari Gonçalves, Lucas Henrique da Silva Lima, Fernando Cesar Sossai
    122-135
    DOI: https://doi.org/10.21726/rcc.v12i2.2206
Ver Todas as Edições