ESPÉCIES VEGETAIS PARA O ARTESANATO: UM ESTUDO PARA PRESERVAÇÃO DA MATA ATLÂNTICA E DO CERRADO MINEIRO

Autores

  • Nadja Maria Mourão
  • Willian de Melo

DOI:

https://doi.org/10.21726/pl.v7i1.2363

Palavras-chave:

espécies vegetais; artesanato; biomas de Minas Gerais.

Resumo

Este trabalho apresenta um breve levantamento das espécies vegetais da mata atlântica e do cerrado mineiro, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Busca-se analisar a viabilidade dessas espécies nativas como matéria-prima para o artesanato, respeitando os biomas locais. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, em revisão de literatura. Foram realizados estudos e relatórios individuais das 46 espécies coletadas, por meio de bibliografias que abordam aspectos geográficos, morfológicos e usuais das espécies em questão. São apresentadas algumas espécies, que vão compor um catálogo, contendo o nome popular, nome científico, características e possíveis aplicações das espécies para o artesanato. Acredita-se este trabalho, sob as bases do design, poderá contribuir com a preservação da natureza e da cultura local, incentivando o desenvolvimento de produtos sustentáveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2024-06-18

Como Citar

NADJA MARIA MOURÃO; WILLIAN DE MELO. ESPÉCIES VEGETAIS PARA O ARTESANATO: UM ESTUDO PARA PRESERVAÇÃO DA MATA ATLÂNTICA E DO CERRADO MINEIRO. Plural Design, Joinville, SC, Brazil, v. 7, n. 1, p. 80–90, 2024. DOI: 10.21726/pl.v7i1.2363. Disponível em: https://periodicos.univille.br/PL/article/view/2363. Acesso em: 13 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos