Submissões

O cadastro no sistema e posterior acesso, por meio de login e senha, são obrigatórios para a submissão de trabalhos, bem como para acompanhar o processo editorial em curso. Acesso em uma conta existente ou Registrar uma nova conta.

Condições para submissão

Como parte do processo de submissão, os autores são obrigados a verificar a conformidade da submissão em relação a todos os itens listados a seguir. As submissões que não estiverem de acordo com as normas serão devolvidas aos autores.
  • A contribuição é original e inédita, e não está sendo avaliada para publicação por outra revista; caso contrário, deve-se justificar em "Comentários ao editor".
  • O arquivo da submissão está em formato Microsoft Word, OpenOffice ou RTF.
  • URLs para as referências foram informadas quando possível.
  • O texto está em espaço simples; usa uma fonte de 12-pontos; emprega itálico em vez de sublinhado (exceto em endereços URL); as figuras e tabelas estão inseridas no texto, não no final do documento na forma de anexos.
  • O texto segue os padrões de estilo e requisitos bibliográficos descritos em Diretrizes para Autores, na página Sobre a Revista.

Diretrizes para Autores

Normas de publicação da revista Acta Biológica Catarinense

Serão aceitos manuscritos preferencialmente em Inglês e também em Português.

Os tipos de manuscritos aceitos são: Artigo de pesquisa e Nota científica.

Os manuscritos submetidos deverão seguir obrigatoriamente as normas abaixo:

  1. Título (em negrito, centralizado, tamanho 14, primeira letra da primeira palavra com caixa alta, restante caixa baixa) conciso, objetivo e redigido nos idiomas português e inglês.

  2. Nome(s) do(s) autor(es) completo(s), tamanho 12, centralizado(s), com o nome de citação em negrito e caixa alta, seguido(s) da afiliação institucional e endereço eletrônico de cada autor.

  3. Subtítulos: Resumo e Palavras-chave nos dois idiomas da revista, Introdução, Material e Métodos, Resultados, Discussão ou Resultados e Discussão (opcional), Conclusão (opcional), Agradecimentos (opcional) e Referências, centralizados, não numerados, em caixa alta, negrito, tamanho 12.

  4. Resumo e Abstract não excedendo 200 palavras, contendo informações sucintas sobre o objetivo da pesquisa, os materiais experimentais, os métodos empregados, os resultados e a conclusão. No Resumo e no Abstract, não é necessário colocar descritor e data para as espécies. Tamanho 10, espaçamento simples.

  5. Palavras-chave e Keywords, até cinco, em ordem alfabética, acrescentadas ao final do Resumo e do Abstract, diferentes daquelas contidas no título do trabalho.

  6. Artigo com o máximo de 25 (vinte e cinco) páginas digitadas, incluindo figuras, tabelas e referências. Linhas numeradas e páginas numeradas no canto superior direito e texto editado em MS-Word. Manuscritos que excedam o número limite de páginas poderão ser aceitos mediante autorização do Conselho Editorial da revista.

  7. Nota Científica com o máximo de 10 (dez) páginas digitadas, incluindo até 2 (duas) ilustrações (figuras ou tabelas). A Nota Científica seguirá as mesmas normas de formatação dos artigos completos. Deverá apresentar contribuição científica ou metodológica original.

  8. Para formatação, utilizar formato A4, 2,0 cm em todas as margens, no texto espaço 1,5 entre linhas, fonte Arial 12. Resumo, Abstract, Palavras-chave, Keywords, Agradecimentos e Referências devem ser digitados em fonte Arial 10 e espaçamento simples.

  9. Tabelas e figuras devem ter suas legendas em tamanho 12 e devem ser inseridas no manuscrito, preferencialmente logo após a sua citação no texto. Nomes científicos devem ser escritos por extenso na legenda.

  10. As tabelas deverão ser construídas segundo o modelo disponibilizado nos números publicados da ABC.

  11. Os dizeres presentes nas figuras deverão estar em fonte Arial.

  12. As figuras não devem conter bordas ou linhas externas.

  13. Os gráficos devem ter títulos nos seus eixos, em fonte Arial.

  14. Figuras (desenhos, esquemas, fotos, gráficos, ilustrações, mapas ou pranchas) devem ter tamanho máximo de 16x23 cm, incluindo a legenda, e escalas de grandeza ou outras indicações, se necessárias, apresentadas na própria figura ou associadas à legenda.

  15. As figuras devem ser digitalizadas, preferencialmente coloridas, com, no mínimo, 300 dpi de resolução, e salvas em formato JPEG.

  16. As unidades de medida devem estar de acordo com o Sistema Internacional (SI) de Medidas.

  17. Em artigos que contenham listas taxonômicas, o gênero deve estar com inicial maiúscula e a espécie com inicial minúscula. O nome científico deve ser seguido do nome de seu autor por extenso e de sua data de publicação (autor e data sem destaque) na primeira vez em que é mencionado no texto. Deverão ser observadas as normas do ICZN (Código Internacional de Nomenclatura Zoológica) e do CINB (Código Internacional de Nomenclatura Botânica).

 

q) As citações no texto devem ser como a seguir:

um autor sobrenome e ano: Evert (2006) ou (EVERT, 2006);

dois autores: Andreacci & Melo Júnior (2011) ou (ANDREACCI & MELO JÚNIOR, 2011);

três ou mais autores: sobrenome do primeiro autor seguido de et al.: Rossatto et al. (2009) ou (ROSSATTO et al., 2009);

mais de uma citação apresentada no texto em sequência adotar a ordem cronológica: (EVERT, 2006; ROSSATTO et al., 2009; ANDREACCI & MELO JÚNIOR, 2011).

 

  1. As referências deverão ser, no mínimo, 50% dos últimos 10 (dez) anos.

 

  1. As referências deverão ser, no máximo, 40.

 

  1. Não serão aceitos como referência livros e publicações didáticas.

t) As Referências deverão ser dispostas em ordem alfabética dos nomes de citação, com o sobrenome de todos os autores por inteiro, prenomes abreviados, título dos periódicos completo, sem o local de publicação, com o DOI (Digital Object Identifier) (se existir), como a seguir:

Artigos:

Mouga, D. M.D. da S. & Nogueira-Neto, P. A high grassland bee community in southern Brazil: survey and annotated checklist (Insecta: Apidae). Journal of the Kansas Entomological Society. 2012; 85(4): 295-308.

doi: http://dx.doi.org/10.2317/0022-8567-85.4.295

Livros:

Cox, C. B. & Moore, P. D. Biogeography: an ecological and evolutionary approach. 8. ed. New York: Willey; 2010. 506 p.

Capítulo de livro:

Bezerra, L., Soares, M. R. & Lustosa, B. Coleoptera. In: Fontana, C. S., Bencke, G. A. & Reis, R. E. Livro vermelho da fauna ameaçada de extinção no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: EDIPUCRS; 2003. p. 95-109.

 

Monografias, Dissertações e Teses:

Silveira Sobrinho, P. Comunidade de aranhas em áreas degradadas pela mineração de ganga em Diamantina, MG [Dissertação de Mestrado]. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais; 2004.

Relatórios técnicos:

Fundação SOS Mata Atlântica; Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – INPE. Atlas dos remanescentes florestais da mata atlântica. Período 1995-2000. Relatório parcial. Estado do Paraná. São Paulo; 2001.

Trabalhos on-line:

IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Mapa de biomas do Brasil. Escala 1:5.000.000. Rio de Janeiro; 2004. [Acesso em: 13 ago. 2014]. Disponível em: http://mapas.ibge.gov.br/biomas2/viewer.htm.



Artigos

Política padrão de seção

Política de Privacidade

Os nomes e endereços informados nesta revista serão usados exclusivamente para os serviços prestados por esta publicação, não sendo disponibilizados para outras finalidades ou a terceiros.