Maus-tratos na infância e adolescência: percepção e conduta de profissionais de nível superior que atuam na Estratégia Saúde da Família Maltreatment in childhood and adolescence: perception and conduct of higher education professionals acting at Family Health Strategy

Priscilla Lesly Perlas Condori, Stephanie Camila Lopes do Nascimento, Aline Both Dubal Mitie, Eduardo Pizzatto, Verônica de Azevedo Mazza, Marilene da Cruz Magalhães Buffon

Abstract


Introdução: Os maus-tratos infantis são um problema mundial com graves consequências que podem perdurar por toda a vida. Objetivo: Analisar o processo de notificações de maus-tratos contra crianças e adolescentes por profissionais de saúde com nível superior que atuam na Estratégia Saúde da Família (ESF) em dois municípios da região metropolitana de Curitiba/PR. Material e métodos: Trata-se de um estudo observacional, transversal, descritivo, com abordagem quantitativa. Participaram 97 profissionais que atuam na ESF nos municípios de Colombo/PR e Piraquara/PR. Foi utilizado um  questionário autoaplicável sobre dados sociodemográficos, formação profissional, conhecimento sobre o tema e notificação de casos de maus-tratos infantojuvenis. Resultados: Observou-se que a maioria dos profissionais conhecia a ficha de notificação (64,9%), sabia conduzir o caso suspeito, optando pela notificação (69,5%), e que se sente capaz de identificar casos de maus-tratos (75,2%). Conclusão: Apesar de grande parte desses profissionais demonstrar conhecimento sobre o tema, é necessário que seja abordado de forma contínua no processo de educação permanente do Sistema Único de Saúde (SUS).



DOI: http://dx.doi.org/10.21726/rsbo.v1i1.588

Refbacks

  • There are currently no refbacks.