Avaliação do grau de desvio apical provocado por sistemas de instrumentação reciprocante: comparação entre duas técnicas

  • Fábio de Almeida Gomes
  • Thallyson Sampaio Araujo
  • Thiago Lima Sales
  • Gabriela Mendes Amador
  • Bernardo Almeida Aguiar
  • Claudio Maniglia Ferreira
  • Bruno Carvalho de Vasconcelos
  • Fernanda Geraldo Pappen
Palavras-chave: forame apical; endodontia; dente molar.

Resumo

O tratamento endodôntico tem como um de seus objetivos a descontaminação dos canais radiculares por meio do preparo biomecânico, que consiste na limpeza dos canais radiculares utilizando instrumentos e soluções irrigadoras. Objetivo: Avaliar o grau de desvio apical provocado por dois sistemas de instrumentação reciprocantes. Material e métodos: Selecionaram-se 56 molares superiores humanos previamente extraídos. Eles foram divididos aleatoriamente em dois grupos contendo 28 raízes cada um, de acordo com o sistema de instrumentação a ser utilizado e emprego de patência foraminal: técnica de preparo com instrumentos de cinemática reciprocante VDW Reciproc R25 e técnica de preparo com instrumentos de cinemática reciprocante do tipo Easy ProDesign R 25/06. Após a instrumentação, as radiografias iniciais e finais foram avaliadas e mensuradas por intermédio do software ImageJ, em que foi avaliado o grau de desvio apical provocado pelos sistemas reciprocantes utilizados. Resultados: No grupo 1 foi obtida média de desvio de 6,59º. Já com relação ao grupo 2 essa média foi de 2,04º, porém sem diferença estatística significante entre ambos os grupos (t-test, p = 0,2700). Conclusão: Os dois sistemas avaliados proporcionaram desvios apicais mínimos e aceitável desgaste de dentina em raízes com curvaturas entre 20 e 40º.

Publicado
2021-12-01
Seção
Artigos Originais de Pesquisa