Práticas e percepção da saúde bucal das equipes de enfermagem em internados na unidade de terapia intensiva

  • Hélder Domiciano Dantas Martins
  • Aurino Fernandes de Brito Junior
  • Gabrielly Laís Barbosa Duarte de Araújo
  • Edna Maria da Silva
  • Maria Ângela Fernandes Ferreira
  • Domingos Sávio de Medeiros
  • Éricka Janine Dantas da Silveira
Palavras-chave: unidades de terapia intensiva; educação continuada em enfermagem; enfermagem.

Resumo

A unidade de terapia intensiva (UTI) é um setor hospitalar em que se presta assistência a pacientes com necessidade de cuidados intensivos. Nesse cenário, a equipe de enfermagem assume importância no cuidado aos pacientes internados e é a responsável pelo cuidado bucal em alguns hospitais. Esses pacientes possuem alterações bucais, e os profissionais envolvidos devem ter conhecimento para promover a manutenção da saúde bucal deles. Objetivo: Verificar a percepção dos profissionais de enfermagem sobre a saúde bucal e suas práticas de higienização em duas UTIs. Material e métodos: Trata-se de um estudo descritivo e seccional em duas UTIs (uma pública e uma privada). A amostra foi constituída dos profissionais de enfermagem ativos, os quais responderam a um questionário validado. Os dados obtidos foram submetidos à análise estatística descritiva. Resultados: A média de idade dos entrevistados no hospital público e no hospital da rede privada, respectivamente, foi de 34 e de 37 anos, com tempo de atuação profissional de 9 e de 12 anos, em sua maioria do sexo feminino (56,1 e 78%) e técnicos em enfermagem (90 e 86%). Em relação ao cuidado bucal, 44 e 30% dos profissionais o realizam apenas uma vez ao dia, 63 e 62% não souberam definir biofilme dentário, e 40 e 46,2% disseram que mais treinamentos seriam necessários. Além disso, a utilização da clorexidina (0,12%) era realizada por 100% dos entrevistados no hospital público e 80% no hospital particular, mais frequente do que a remoção mecânica do biofilme. Conclusão: Há deficiências no conhecimento da saúde bucal dos pacientes, o que reforça a importância da educação continuada dos profissionais de enfermagem, além da presença do cirurgião-dentista.

Publicado
2021-12-01
Seção
Artigos Originais de Pesquisa