Manejo de extenso granuloma piogênico em nível hospitalar: relato de caso

  • Kalyne Kelly Negromonte Gonçalves
  • Thawan Lucas Rodrigues Mendonça
  • Demóstenes Alves Diniz
  • Priscilla Sarmento Pinto
  • Ruan de Sousa Viana
  • Jéssica da Silva Cunha
  • Carlos Augusto Pereira do Lago
Palavras-chave: granuloma piogênico; hemorragia; eletrocirurgia.

Resumo

Os processos proliferativos não neoplásicos são lesões reacionais hiperplásicas frequentes na cavidade bucal, sendo o granuloma piogênico cerca de 35% de todas essas lesões. Objetivos: Relatar o caso clínico de um extenso granuloma piogênico e refletir sobre o seu manejo em nível hospitalar. Relato do caso: Paciente sexo feminino, 35 anos de idade, compareceu ao ambulatório de cirurgia e traumatologia bucomaxilofacial do Hospital da Restauração, Recife (PE), com presença de extensa lesão em região anterior de mandíbula, com surgimento compatível com o período de gravidez e posterior evolução clínica de cinco anos. A lesão era de coloração avermelhada, com áreas de ulcerações, base pediculada, aspecto lobular e áreas hemorrágicas. A hipótese diagnóstica foi compatível a granuloma piogênico. O procedimento cirúrgico foi realizado sob anestesia geral, por meio da eletrocirurgia, por proporcionar maior segurança operatória e para a equipe cirúrgica e menor risco de hemorragias e de morbidade para a paciente. Conclusão: É preciso enfatizar a necessidade do conhecimento por parte dos cirurgiões[1]dentistas do risco de complicações trans e pós-operatórias dessas lesões, bem como o seu manejo.

Publicado
2021-06-28
Seção
Artigos de Relato de Caso