Incorporação de agente antifúngico em material reembasador resiliente temporário para base de prótese como tratamento de estomatite protética: um relato de caso

  • Carolina Yoshi Campos Sugio
  • Andrea Lemos Falcão Procópio
  • Bárbara Teodoro Nóbrega
  • Isadora Junta de Freitas
  • Renato de Freitas
  • Karin Hermana Neppelenbroek
Palavras-chave: estomatite sob prótese; liberação controlada de fármacos; reembasadores de dentadura.

Resumo

A incorporação de agentes antifúngicos ou antimicrobianos em diferentes materiais para base de prótese tem sido sugerida e empregada como método alternativo ao tratamento convencional da estomatite protética. Essa abordagem permite a liberação gradual dos fármacos na cavidade bucal, resultando em menos efeitos colaterais, pois a presença contínua do fármaco no local de ação permite menor quantidade deste para atingir o efeito terapêutico. Objetivo: Apresentar essa forma de terapia alternativa com a incorporação da nistatina no material reembasador resiliente temporário para base de prótese. Relato de caso: Paciente SN, sexo masculino, 72 anos de idade, compareceu à clínica com sinais clínicos evidentes de estomatite protética e, após as orientações de uso e higiene das próteses, as bases acrílicas foram reembasadas com Trusoft modificado pela adição de nistatina (0,032 g de fármaco/grama de pó do material reembasador). Ao final do tratamento, de 14 dias, houve melhora clínica com redução significativa da severidade da inflamação na mucosa palatina. Ainda, foi observada manutenção do resultado satisfatório nos períodos de 30 e 60 dias de acompanhamento. Conclusão: O método de tratamento alternativo proposto mostrou[1]se satisfatório e promissor.

Publicado
2021-06-28
Seção
Artigos Originais de Pesquisa