Yeddo Titze, a micro-história e a tapeçaria artística

Lorilei Secco

Resumo


 

Este artigo traz como tema central a tapeçaria no Rio Grande do Sul enquanto linguagem artística, muitas vezes desprovida de pesquisas mais aprofundadas que a coloquem com maior reconhecimento no contexto das artes visuais. Incluindo a elaboração de um ligeiro percurso histórico, investigam-se aspectos biográficos e artísticos relacionados à produção de Yeddo Titze, um dos pioneiros da arte têxtil no Rio Grande do Sul, mediante uma abordagem micro-histórica que permite a reconstrução de trajetórias e relações sociais, enfocando o sujeito e estabelecendo questionamentos em vários níveis. Metodologicamente, trata-se de uma pesquisa bibliográfica qualitativa com fundamentação teórica orientada, sobretudo, pelos escritos de Barros (2005), Cáurio (1985), Ginzburg (2007), Hülse (2009), Karsburg (2015), Lévi (2018), Lima (2012, 2015), Pesavento (2004) e Pezzolo (2013). Os resultados indicam que a trajetória do artista em questão, durante os anos de 1970-1980, está associada a um intenso período de produção de obras têxteis no Rio Grande do Sul, incluindo a criação e a manutenção do Centro Gaúcho de Tapeçarias Contemporâneas, cujo objetivo primordial foi a valorização e a popularização dessa linguagem por meio de encontros, exposições, palestras, cursos e trocas com outros centros do país e do exterior.




Palavras-chave


artes visuais; micro-história; tapeçaria artística; Yeddo Titze.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21726/rccult.v8i3.752

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional