Bosque Schmalz: uma herança contestada na cidade de Joinville (SC)

Denis Fernando Radun, Ilanil Coelho

Resumo


Buscando uma aproximação interdisciplinar entre os campos do Direito e do patrimônio cultural, o artigo discute o jogo de atribuição de valores que sustenta e legitima, do ponto de vista cultural e jurídico, alguns patrimônios culturais edificados em nossas cidades contemporâneas. Para tanto, procura refletir e problematizar o caso da patrimonialização do Bosque Schmalz, localizado na cidade de Joinville, Santa Catarina, e os pedidos pela sua despatrimonialização, dirigidos em momentos diversos ao Órgão Federal de Preservação. Além da bibliografia pertinente, utilizamos como principal fonte de investigação o processo administrativo do tombamento do bosque como patrimônio nacional, aberto em 1965. A nossa análise busca apontar para alguns dos desafios colocados pelas e para as políticas de proteção do patrimônio cultural na contemporaneidade brasileira, especialmente no que diz respeito ao instituto do tombamento.


Palavras-chave


patrimônio cultural; tombamento; Bosque Schmalz; Joinville (SC).

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21726/rccult.v7i0.650

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional