Conhecimento sensível e inteligível na abordagem metodológica Trilha da Vida

José Matarezi, Paulo Ivo Koehntopp

Resumo


A modernidade resultou em um conjunto de crises, especialmente no campo das ciências, do ambiente e do conhecimento humano, gerando insustentabilidade em diversos níveis, ao mesmo tempo em que aponta para a necessidade de um novo ethos civilizatório. Nesse contexto a educação ambiental, a educação estética e a educação patrimonial assumem como uma de suas missões lidar com os dilemas
e paradoxos próprios do paradigma dominante, buscando integrar subjetividade e objetividade, ou seja, produção de intersubjetividade na construção de conhecimento sensível e inteligível. Tal momento viabiliza pesquisas e abordagens metodológicas capazes de superar a fragmentação do conhecimento e das relações humanas com
a natureza. É nesse foco que se analisa a abordagem metodológica Trilha da Vida: (Re)Descobrindo a Natureza com os Sentidos. Contextualizam-se os conceitos de “experiência” e “vivência” (BONDÍA, 2002), “participação” e “suprassensorial” (OITICICA, 1968), performance (BEUYS, 2010; OITICICA, 1968; 1986; 2013).


 

Palavras-chave


educação do sensível; performance; suprassensorial; experiências; instalação de arte e ciência

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21726/rccult.v6i1.335

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internaciona