Narrativas de grafite e expressividade subalterna na pós-modernidade

Pedro Jorge Lo Duca Vasconcellos, Julio Cesar de Lima Bizarria, Leonardo Perdigao Leite

Resumo


Este trabalho visa explorar as maneiras pelas quais os grafites se enquadram nos modos de narração e construção de laços de sociabilidade e memória na pós-modernidade. Na esteira do pensamento de autores de filiação pós-moderna, voluntária ou não, propõe-se analisar as narrativas fragmentárias nas quais prevalecem histórias locais de grupos antes vistos como subalternos. Com um acesso ampliado às tecnologias de comunicação, parece haver uma emergência de vozes outrora silenciadas sob o status quo oficial, com uma crescente variedade de visões de mundo de tais grupos na pós-modernidade. A disseminação dessas vozes não mais favorece a história como um conjunto de fatos concretos estabelecidos por um saber legítimo, mas como um número de fábulas que animam uma renovada expressividade subalterna.


Palavras-chave


grafite; pós-modernidade; subalternidade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21726/rccult.v6i2.325

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internaciona