Patrimônio escolar e representações sociais: o centenário do Grupo Escolar Conselheiro Mafra em Joinville (SC)

Cibele Dalina Piva Ferrari, Celso João Carminati

Resumo


Os grupos escolares foram a primeira ordenação do ensino catarinense no período republicano, e os prédios foram construídos nas áreas centrais das principais cidades, possibilitando a eles grande visibilidade social. O Grupo Escolar Conselheiro Mafra, inaugurado em 1911 em Joinville (SC), foi a primeira das sete instituições que compõem a primeira geração dos grupos escolares em Santa Catarina. O presente
artigo apresenta uma pesquisa que procurou identificar e analisar as representações sociais sobre o colégio Conselheiro Mafra. Analisaram-se as reportagens veiculadas pelo jornal A Notícia por ocasião do centenário do colégio, as quais foram publicadas entre 31 de outubro e 15 de novembro de 2011, contando histórias e trazendo depoimentos e fotografias para comemorar esse marco. As reportagens apresentam
indícios das representações dos indivíduos sobre esse patrimônio cultural escolar inserido no cotidiano contemporâneo da cidade. Com base nisso, propõe-se uma problematização desse grupo escolar enquanto patrimônio escolar catarinense, por ser um dos prédios que representam o projeto republicano de modernização do país, que por meio da escola buscou imprimir sua visão de mundo e a formação de indivíduos que fizessem parte do novo modelo de nação. Mesmo com alterações na
denominação da escola, o nome “grupo escolar” ainda é uma representação muito forte desses espaços.


Palavras-chave


Patrimônio Escolar, Representações Sociais, Grupo Escolar.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21726/rccult.v6i2.323

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internaciona