A “UNE de volta pra casa” – rituais de inscrição de memórias no espaço urbano

Aline Portilho

Resumo


Este artigo tem como objetivo analisar o processo de inscrição de memórias da União Nacional dos Estudantes (UNE) no espaço urbano do Rio de Janeiro, e seu recorte é uma das ações que o compõem: a marcha nomeada Culturata. A análise sobre o evento em tela permite reflexões acerca da mobilização da memória de grupos para sua apresentação no espaço público. Revela também a importância dada por aqueles militantes ao ato de inscrever tais memórias no espaço urbano, o que garantiria a legitimidade de suas demandas.

Palavras-chave: memória; UNE; cidade; ritual; patrimônio cultural.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21726/rccult.v4i1.110

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internaciona