Chuva de sementes em fragmentos de mata atlântica do Parque Estadual da Cantareira, Mairiporã (SP)

Paulo Alves de Almeida Junior, José Marcos Barbosa

Resumo


A chuva de sementes é um processo importante para determinar a dinâmica e os tipos de
dispersão dos diásporos. Visando compreender os processos envolvidos para as espécies
ocorrentes no Parque Estadual da Cantareira, Mairiporã (SP), objetivou-se caracterizar a chuva
de sementes das populações locais em dois fragmentos de floresta. Foram confeccionados
20 coletores de madeira, sendo distribuídos cinco na Trilha do Macuco e 15 na Trilha da
Cachoeira. Avaliaram-se mensalmente, pelo período de um ano, as densidades de propágulos
depositados nos coletores, sendo esses propágulos identificados e categorizados com base na
sua síndrome de dispersão e na sua classe sucessional. Realizaram-se as análises estatísticas
em relação a distribuição de sementes, frequências relativas, densidade e densidade relativa
dos táxons identificados, com o software Microsoft Excel 2010 para Windows. Com relação
às síndromes de dispersão e classes sucessionais, houve predominância da síndrome
zoocórica e de espécies de classes sucessionais secundárias. A quantidade e a riqueza de
diásporos amostrados foram elevadas, considerando-se os padrões de floresta atlântica. As
espécies mais abundantes e presentes na maioria das parcelas foram Cordia americana (L.)
Gottschling J.S.Mill., Vernonia discolor (Spreng.) Less. e Serjania multiflora Cambess.


Palavras-chave


Dispersão de sementes; floresta ombrófila densa; resiliência.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21726/abc.v2i2.215

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Acta Biológica Catarinense, ISSN 2358-3363, Joinville/SC, Brasil.Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.