Caracterização da avifauna em áreas de cerrado no Brasil Central

Camila Rocha, Raphael Matias, Lívia Mendonça Aguiar, Carlos Melo Silva, Bruno Bastos Gonçalves, José Neiva Mesquita-Neto

Resumo


No Brasil, o cerrado é o segundo maior bioma em extensão e o terceiro com maior riqueza
de aves, com aproximadamente 837 espécies. Destas, 36 são endêmicas do bioma e 48 estão
em algum nível de ameaça. O objetivo deste estudo foi determinar a riqueza, a abundância,
a estrutura trófica e analisar a composição da comunidade de aves ocorrentes em áreas de
cerrado no Brasil Central. Foram realizadas duas visitas a campo, contemplando o ciclo
hidrológico de seca e chuva, totalizando 112 horas de esforço amostral. Foram registradas 163
espécies, distribuídas em 48 famílias, sendo observada uma riqueza maior de aves na estação
chuvosa (149 espécies) em comparação à estação seca (111 espécies). Foram registradas
cinco espécies endêmicas do cerrado, o que corresponde a 13,8% do total de aves endêmicas
do bioma. As famílias mais representativas foram: Tyrannidae (20 espécies), Thraupidae
(16) e Psittacidae (11). As aves insetívoras foram o grupo mais representativo, com 35%
das espécies observadas. Uma vez que a região de Paraúna se encontra modificada pela
expansão da indústria sucroalcooleira, o conhecimento da avifauna local tem importância
fundamental como subsídio para o desenvolvimento de políticas de conservação, planos de
manejo e biomonitoramento.


Palavras-chave


Aves; biodiversidade; conservação; endemismo; estrutura trófica.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21726/abc.v2i2.202

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Acta Biológica Catarinense, ISSN 2358-3363, Joinville/SC, Brasil.Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.