Efeitos da presença e distância de poleiros artificiais na dispersão de sementes de uma área degradada em Irati, Paraná

Guilherme José Mores, Rogerio Bobrowski

Resumo


Os objetivos da presente pesquisa foram avaliar a contribuição de poleiros artificiais na chuva de sementes em área degradada no campus da Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro), em Irati (PR), e o efeito da distância da floresta e da sazonalidade na dispersão das sementes. Para tal foram instaladas dez esteiras de coleta no interior de remanescente florestal e 80 em área degradada adjacente à floresta, a diferentes distâncias da floresta, sendo a metade das esteiras com poleiros de 4 m de altura. Constatou-se diferença significativa em relação a biomassa, número, peso e diversidade de sementes entre as esteiras com e sem poleiro. O fator distância do poleiro à floresta mostrou-se significativamente diferente, com maior número de sementes na distância de 5 m. Quanto à comparação dos meses de coleta, houve diferença expressiva para os tratamentos com poleiro apenas para a variável biomassa. O número de sementes foi maior nos meses de outubro, novembro e fevereiro, enquanto em novembro e dezembro constatou-se maior diversidade de sementes. A síndrome de dispersão zoocórica e a diversidade de sementes foram maiores nas esteiras com poleiros. Os poleiros artificiais mostraram-se úteis para aumentar a diversidade de espécies e a quantidade de material depositado, o que
pode auxiliar na recuperação de áreas degradadas.


Palavras-chave


chuva de sementes; mata de araucária; restauração florestal; riqueza de espécies.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21726/abc.v5i2.479

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Acta Biológica Catarinense, ISSN 2358-3363, Joinville/SC, Brasil.Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.