Métodos para a superação da dormência em sementes de Schizolobium parahyba (Vellozo) S. F. Blake (Fabaceae)

Danieli Ferneda Candido, Adriana dos Santos de Oliveira

Resumo


O presente estudo visou avaliar a eficiência de diferentes métodos de superação de dormência na germinação de sementes de Schizolobium parahyba. O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado, com sete repetições de 15 sementes. Para isso, realizaram-se os seguintes tratamentos: T1) desponte com tesoura de poda; T2) imersão em água (80ºC), permanecendo em repouso na mesma água, fora do aquecimento, por 48 horas; T3) imersão em água (95ºC) por 2 minutos; T4) ácido sulfúrico concentrado por 10 minutos; T5) ácido sulfúrico concentrado por 20 minutos; T6) autoclavagem a 100ºC por 20 minutos; e T7) testemunha. As sementes foram colocadas para germinar em caixas “gerbox”, contendo vermiculita esterilizada, umedecida com água destilada, a temperatura de 25ºC e fotoperíodo de 16 horas. Observaram-se as maiores porcentagens de germinação em T1 (33,1%),
T2 (24,4%) e T6 (22,6%), que não diferiram significativamente entre si. O grupo T2 proporcionou a menor porcentagem de sementes mortas (1,7%). As maiores porcentagens de germinação e as menores porcentagens de sementes duras foram obtidas nos grupos T1, T2 e T6. Desponte e autoclavagem ocasionaram maior mortalidade das sementes.


Palavras-chave


escarificação; germinação; guapuruvu; impermeabilidade do tegumento.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21726/abc.v5i2.451

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Acta Biológica Catarinense, ISSN 2358-3363, Joinville/SC, Brasil.Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.