Qualidade visual da paisagem do Parque Bacacheri, Curitiba – Paraná

Jefferson Dias de Oliveira, Allan Rodrigo Nunho dos Reis, Daniela Biondi

Resumo


A avaliação da paisagem permite compreender uma área como um sistema de unidades territoriais inter-relacionadas e com características ambientais específicas. O objetivo deste estudo foi avaliar a qualidade visual da paisagem do Parque Bacacheri – Curitiba/PR, com vistas a conhecer os seus pontos de maior e menor expressão visual. Utilizaram-se o método indireto, por meio de dados cartográficos e SIG, com a definição de três classes de qualidade visual – RUIM (valor inferior), MÉDIA e BOA (valor superior) –, e o método direto, com coleta dos dados in loco nos locais que representavam os centros das três classes de qualidade visual, com a tomada de fotografias. Das quadrículas avaliadas no método indireto, 18,75% foram enquadradas na classe RUIM, 37,5% na classe MÉDIA e 43,75% na classe BOA. No método direto, 41,67% das fotografias foram enquadradas na classe RUIM, 50% na classe MÉDIA e 8,33% na classe BOA. Não foi constatada diferença estatística significativa entre pontos amostrais nem entre os sentidos de observação, indicando que não há variação entre as paisagens amostradas. A utilização conjunta dos dois métodos mostrou-se eficaz para a avaliação da qualidade visual da paisagem do parque. Recomenda-se que nas áreas com menor aptidão estética sejam feitas melhorias para apreciação visual.


Palavras-chave


áreas verdes; turismo; valoração paisagística.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21726/abc.v5i1.427

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Acta Biológica Catarinense, ISSN 2358-3363, Joinville/SC, Brasil.Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.