Comportamento fenológico de Copernicia prunifera (Miller) H.E. Moore em área urbana de Parnamirim, Rio Grande do Norte

  • Eduarda Ximenes
  • Richeliel Albert Rodrigues Silva
  • Talita Geovanna Fernandes Rocha
  • Fabio de Almeida Vieira
  • Allan Rodrigo Nunho dos Reis
  • Jefferson Dias de Oliveira
Palavras-chave: carnaúba; fenologia; floresta urbana.

Resumo

A fenologia aplicada ao ambiente urbano é uma ferramenta que permite verificar a resposta das plantas às condições ambientais atípicas das cidades e, portanto, pode atuar na conservação do patrimônio arbóreo. Objetivou-se avaliar o padrão fenológico em uma população ruderal de Copernicia prunifera, correlacionando-o com variáveis meteorológicas (temperatura, umidade relativa do ar, precipitação e velocidade do vento). Foram analisados quinzenalmente 29 indivíduos na Praia de Cotovelo (Parnamirim/RN), entre outubro de 2011 e abril de 2013. Os eventos avaliados foram: enfolhamento, botão floral, floração, frutos imaturos e maduros. Verificaram-se o percentual de intensidade de Fournier e o índice de atividade para cada fenofase, que foram posteriormente correlacionados com parâmetros meteorológicos por meio da correlação de Spearman (Cs ) do programa estatístico BioEstat 5.3. O brotamento foliar manteve-se constante, corroborando a boa adaptação da espécie a climas áridos e semiáridos. Observaram-se correlações positivas entre a produção de frutos maduros e precipitação (Cs1 = 0,398, Cs2 = 0,549, Cs3 = 0,464, Cs4 = 0,533), em que a água, nesse caso, é um fator limitante para o desenvolvimento de frutos carnosos. Os aspectos morfológicos e fisiológicos da população de C. prunifera estudada foram influenciados pelos fatores climáticos regionais.

Publicado
2019-12-16