Comunidade de abelhas (Hymenoptera, Apidae) e plantas associadas em área de mata atlântica em São Francisco do Sul, Santa Catarina, Brasil

Denise Monique Dubet da Silva Mouga, Paulo Nogueira-Neto, Manuel Warkentin, Vanessa Feretti, Enderlei Dec

Resumo


A comunidade de abelhas nativas em uma área de mata atlântica no sul do Brasil foi estudada no período 2001-2003, utilizando-se rede entomológica em plantas floridas. Foram amostrados 1.519 indivíduos de 80 espécies e 4 subfamílias de abelhas. Houve predomínio de espécies de Apinae não corbiculadas e Halictinae e de indivíduos de Apinae corbiculados e Halictinae. As plantas associadas totalizaram 124 espécies de 46 famílias, das quais as mais visitadas foram Asteraceae, Fabaceae, Lamiaceae e Melastomataceae. Foram amostradas 11 espécies de abelhas não assinaladas para Santa Catarina. As abelhas mais amostradas foram Apis mellifera, Trigona spinipes, Bombus morio, Dialictus sp., Augochloropsis sp. 07, Trigona braueri, Augochlora (Oxystoglossella) sp. 05 e Tetragonisca angustula. A quantidade de indivíduos amostrados por mês, ao longo do período de coleta, evidencia um padrão bivoltino (maio e setembro-novembro). Algumas espécies de plantas foram visitadas apenas por Apis mellifera. Os índices de diversidade e equabilidade ficaram em 2,315 e 0,528, respectivamente. A curva de acumulação mostrou-se crescente. Os estimadores de riqueza apontam mais espécies. A riqueza e a abundância evidenciam um padrão de atividade de clima temperado. A composição da apifauna demonstrou maior similaridade com formação de floresta ombrófila densa de terras baixas.

Palavras-chave


Biodiversidade; interação abelha-planta; riqueza de espécies

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21726/abc.v2i1.195

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Acta Biológica Catarinense, ISSN 2358-3363, Joinville/SC, Brasil.Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.